18 de março de 2011

Não sou perfeita.

Estou sozinha sentada numa esplanada. Como é bom! Que sentimento agradável percorre o meu corpo. Com o sol a encher-me de energia e tantas outras coisas boas.
Depois de tanto sofrimento é bom sentir-me livre finalmente.
Larguei a mão (ou os dedos que ainda conseguia agarrar) de algumas pessoas. Continuo a gostar delas e deixaram uma marca no meu coração, e a marca não é nada pequena, acreditem.
Pode parecer com tudo isto que não sou uma boa amiga. Mas também..., deixei de me interessar por isso. Os verdadeiros sabem, e isso para mim basta.
Odeio quando um conhecido chega ao pé de mim e diz: "Ah, essa gaja é uma puta! Dás-te com ela? Ela come este e aquele."
Eu só digo: "Não me interessa. para mim ela é boa pessoa, e ela é que sabe o que faz. Não fui eu, por isso estou de consciência tranquila. Gosto da pessoa que ela é e não me vou meter nessas merdas. É minha amiga e não a vou julgar por isso!"
Odeio falsidades, digo tudo o que há para dizer.
Não estou a dizer que sou perfeita, mas de certeza que neste aspecto sou bem melhor que algumas pessoas que por aí andam a mandar sorrisinhos a toda a gente.

Sem comentários: